domingo, 3 de outubro de 2010

Querido novo alguém,


Me assusta, o modo como as coisas estão andando rápido para mim, o modo como eu volto a sentir arrepios ao falar com alguém, o modo como minhas mãos tremem, e meu coração palpita mais e mais rápido. Sempre tive essa mania de me apegar fácil, e gostar demais, e muitas vezes, acabei quebrando a cara. Admito que mesmo assim, nunca deixei de acreditar, o amor me encanta. E eu adoro me deixar encantar por novos alguéns. Descobrir seus segredos, e ter a liberdade para revelar todos os meus. Passar horas e horas conversando, sem se dar conta do tempo, dos problemas, e até mesmo do mundo lá fora. Esquecer de tudo que me faz mal, e ter certeza de que ao menos uma pessoa consegue trazer todo o bem que eu preciso.
Sinceramente, há muito pouco tempo, eu cheguei a resistir por um momento, desacreditar em todos esses encantos.
E foi de repente que você apareceu, como quem não quer nada...
Ainda não sei muito bem o que esperar de você, não sei bem o que falar, ou como agir, me sinto meio que de mãos atadas.
Mas ao mesmo tempo, é como se eu estivesse mais segura do que nunca, então continuo aqui; tentando deixar para trás meus dias de chuva, e me deixando levar por esses novos dias de sol.
Por fim, não sei lhe dizer muito bem o que ando sentindo, mas espero que seja bom. E espero que você goste, porque eu sinto que se você gostar, eu vou gostar também.
Com amor, seu novo alguém.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Tu te expressa de uma forma muito legal, muitas vezes triste, mas legal!
    Parabéns!

    ResponderExcluir